Vegetarianismo em Portugal

Eu, sempre às voltas com minhas receitas, preocupada com a saúde, sem deixar de pensar no orçamento, fui logo que cheguei aqui em Portugal, conhecer os mercados todos e verificar como seria. A boa notícia é que alimentação está entres os pontos mais favoráveis no baixo custo de vida local. A comida em Portugal é boa (excelente, diga-se de passagem) e barata! Além disso, muito mais familiar para uma brasileira do que a espanhola. Açaí na sessão de sorvetes do mercado? Temos! Tapioca para fazer em casa de manhã? Temos também.

Ainda não consegui ir num número aceitável de restaurantes vegetarianos/veganos, para escrever um post específico sobre comer fora, mas nesse que fiz para o BPM, já dá para se ter uma boa ideia do que é ser uma vegetariana (com orçamento limitado) em terras lusitanas!

“Vegetarianismo em Portugal: variedade e custos.

Eu sou vegetariana, ou lacto-ovo-vegetariana, sendo mais específica, ou seja, não como nenhum tipo de carne animal, mas como eventualmente derivados de leite, ovos ou mel. Quando parei de comer carnes, morava em Brasília, e facilmente me adaptei ao novo cardápio. Nunca tive dificuldade de me alimentar assim morando lá e muito menos em São Paulo, onde morei depois por mais 2 anos. A variedade e disponibilidade de feiras, onde se consegue comprar vegetais frescos a bom preço é enorme no Brasil, e ao contrário do que algumas pessoas pensam, a alimentação sem carnes é consideravelmente mais barata do que a onívora. É só lembrar que vegetarianos não precisam de nada especial, é só não comprar a carne, e comer todo o resto!

(…)

Talvez por estar em uma cidade média, o processo de adaptação foi muito fácil, quase imperceptível…” Para ler o texto na íntegra, clique aqui!

Mais Receitas Veganas para o Natal

Mais receitas veganas para o Natal, porque nunca é demais compartilhar inspiração para quem quiser ter um Natal sem carnes, lindo, saboroso e gostoso!

Eu ainda não sei como será nosso natal. Até ontem, e esse texto é de 08/12, nem casa nós tínhamos, hoje já temos! Yeyyyyy! Mas falta ter água, luz, internet, móveis, geladeira, comida na geladeira, fogão, etc. Nosso empenho nas próximas semanas vai ser organizar tudo e com sorte, e uma boa dose de trabalho duro talvez tenhamos algo para chamar de lar até o Natal. Se não, a gente enche os colchões de ar, liga o fogareiro e o lampião e faz um acampamento na sala de casa, e uma super ceia de feijões em lata e pepino em conserva, talvez pizza delivery! Huahauhauhua

Brincadeiras (e realidades) à parte, eu desejo a todos um Natal lindo, maravilhoso, aconchegante, cheio de amor, seja da família ou amigos, e espero que o ano novo traga novos ares, e novas decisões positivas para todos.

Fica minha dica de por onde começar: uma ceia vegana! Espero que gostem!

Feliz Natal! ❤

Nova Colaboração: Brasileiras Pelo Mundo

Queridas leitoras e leitores,

inaugurei nesse sábado uma nova etapa, me tornando colaboradora do site Brasileiras Pelo Mundo. Para quem ainda não conhece, é uma blog maravilhoso, onde várias brasileiras espalhadas por esse nosso mundão escrevem sobre suas experiências em diversos locais e compartilham com o intuito de instruir e ajudar, além de formar uma rede de colaboração e apoio. Muitas dúvidas sobre documentação, situações difíceis, idioma, e também sobre situação positivas, novos desafios, adaptação, oportunidades e muito sobre a cultura de diversos locais podem ser encontrados lá.

Você pode simplesmente ler os textos do dia, procurar por país, por autora, por tema, etc. Recomendo conhecer e acompanhar!

Para começar, lê meu texto sobre Os Desafios de Ser Vegetariana no Interior da Catalunha lá!

Brasileiras LOGO

Pasta de Couve-flor

Essa terça temos uma receitinha, pra variar. Tô tentando voltar a incrementar as diversas partes do blog.

Essa receita inventei faz um tempinho, e não tenho boas fotos do produto final, pois fiz na véspera de uma das road trips e levamos e comemos tudo, então faltou tempo pra foto. Mas comida é boa é assim, né. A gente só lembra da foto depois… mesmo nesses tempos de instagram.

Bom, essa pasta tem várias vantagens. É simples de fazer, barata e vegana! Além disso fica uma delícia no pão e é uma ótima alternativa pra manteigas e pastas mais gordurosas. Aqui em casa foi sucesso total.

Vamos a receita:

Ingredientes: 

  • Couve-flor (pode colocar 1, 2 pés ou 1 pé e 1 brócolis ninja também)
  • 5 dentes de alho (ou uma cabeça inteira se você for dos meus)
  • 1 cebola média
  • curry
  • cúrcuma (opcional)
  • pimenta-do-reino
  • sal
  • azeite
  • cheiro-verde (ou outras ervas aromáticas à escolha)
  • meio limão espremido (opcional)

Modo de fazer: 

  • Pique em pedaços grandes (não precisa de delicadeza aqui, depois vamos bater tudo) a couve-flor (e o brócolis se for colocar) e a cebola (em quartos)
  • Descasque os dentes de alho (não precisa picar)
  • Coloque o alho, a cebola e a couve-flor (e o brócolis) numa panela com água e cozinhe (pode colocar pouca água, menos do que para cobrir, eles cozinham mais no vapor do que na água, e no final vamos utilizar um pouco da água só. (Pode cozinhar direto no vapor se preferir). Cozinhe até estar tudo bem mole.
  • Coloque no liquidificador ou mixer (fiz com mixer de mão e foi tranquilo) a couve-flor(e brócolis), cebola e alho cozidos, sem a água, acrescente os temperos, menos o azeite e comece a bater. Coloque um pouco de azeite pra facilitar bater e continue batendo. Acrescente mais azeite se quiser uma pasta mais oleosa e coloque um pouco da água do cozimento se estiver difícil para bater ou se quiser um creme mais líquido.
  • Se quiser colocar mais água, pode servi-lo quente, como uma sopa, um creme. Fica ótimo também. Se quiser uma pasta para passar em pães e biscoitos, coloque o mínimo de água.

Como fiz com pouca água, e muito tempero, durou uns 10 dias na geladeira. Fiz dois potes, um levamos na viagem e outro ficou aqui esperando.

img_0234

Brócolis ninja e couve-flor psicodélica catalã

img_0233

Eu aproveito inclusive os talos, cozinho até ficar macio e bato tudo, dá mais consistência e diminui o desperdício

img_0236

Cozinhando em pouca água

Tofu mexido

Oi, meu povo! Esse mês de junho tem sido a loucura total. Na minha vida e no mundo também. Abrir as notícias se tornou momento de crise diária. Além disso estou brigando com os prazos de duas entregas muito importantes no meu mestrado também lidando com mil peripécias, confusões, burocracias e momentos de desespero que circundam a palavra casório. Mas essa é uma outra história, quem sabe fica para um outro post em algum dia.

O importante, é que no meio dessa confusão toda não tá dando tempo de fazer reminiscencia nenhuma. Mal consigo pensar na minha  vida durante o banho (momento ideal), que dirá por algumas horas no computador. Então vou aproveitando para não deixar de alimentar o blog, e contribuindo com coisas mais rápidas, como as Comidinhas!

A receitinha de hoje demora mais tempo pra ler do que pra fazer, são cerca de 3 minutos da hora em que você levantar da cadeira após ler até estar se sentando de volta com a comida na boca! Essa receita não é originalmente minha, já vi similares em outros blogs e perfis de pessoas relacionadas a nutrição saudável e veganismo. A minha versão surgiu depois de umas idas à nutricionista e algumas sugestões dela por meio dos ingredientes e do que ja conhecia, fui juntando tudo e eis que temos tofu mexido!

Porque tofu mexido? Então, isso é uma senhora discussão, e que por não ser nutricionista e nem chef de cozinha não vou me arriscar a palpitar, mas sou daquelas que acha que com moderação, e sendo saboroso,  pode-se comer de tudo. Opto por não comer carnes por vários motivos que envolvem saúde, meio ambiente, consciência, orientação espiritual e filosofia de vida, cada qual com sua devida influência e peso nessa decisão. Consumo com moderação derivados de leite e ovos, mas sempre que possível opto por colocar aqui a versão vegana das receitas pois, além das pessoas que são veganas por opção (quais quer que sejam os motivos: saúde, meio ambiente, consciência, religião, etc), cada vez vemos um número maior de pessoas com restrições alimentares, intolerâncias e alergias, eu mesma possuo várias, então, se a gente puder se alimentar de forma mais inteligente, com saúde e amor, por nós mesmos e pela Terra, vale a pena, né!!

Quando utilizo derivados do leite e ovos, opto pelas versões orgânicas, e com produtos a base de soja também tenho esse cuidado. Por serem produtos que estão na zona dos polêmicos, creio que esse cuidado a mais é válido. O tofu orgânico firme é mais poroso e menos branco que a versão não orgânica e costuma ser um pouco mais caro. Mas na hora do preparo percebemos a nítida diferença. O tofu orgânico não deixa gosto nem cheiro residual e se você tiver uma digestão sensível, como a minha, vai ver que ele “desce” brincando, enquanto o outro nem sempre. Eu compro em loja de produtos naturais ou na Liberdade (SP), quando vamos por lá. Hoje em dia existem inúmeras marcas e sites que disponibilizam a venda pela internet também.

O segredo do tofu é sempre armazená-lo na geladeira, em um pote tampado com água potável fresca, e trocar essa água de 12h em 12h ou pelo menos uma vez por dia. Aqui em casa, quando tem não dura muito tempo, então geralmente só dá pra trocar a água uma ou duas vezes, mas dependendo da quantidade que você for comprar e do consumo, atente para isso. Claro, sempre recomendo que consulte um nutricionista!

O tofu mexido fica similar ao nosso já conhecido ovo mexido. A consistência e o sabor são razoavelmente diferentes, mas pode ser um bom substituto tanto em termo de nutrientes quanto de hábito. Eu sempre acho que as dificuldades relacionadas com o vegetarianismo e o veganismo são muito mais associadas aos hábitos do que aos nutrientes, desde que bem acompanhados.

Esse tofu mexido é uma ótima opção vegana para o café da manhã ou para o lanche da tarde. Pode colocar dentro do pão ou tapioca se isso fizer parte dos seus hábitos alimentares.

IMG_2180

Vamos à receita então:

  • 100 gr de tofu orgânico firme
  • 1 colher de café de cúrcuma moída (açafrão-da-terra)
  • 1 pitada de pimenta do reino moída
  • sal (à gosto) / eu uso o sal rosa do himalaia
  • azeite (à gosto)
  • semente crua de girassol (opcional)

Modo de preparo:

Amasse o tofu já escorrido (sem água) com um garfo. Acrescente um pouco de azeite, o sal, a cúrcuma e a pimenta e mexa bem, com o garfo para que os ingredientes se misturem. Basicamente, continue amassando e revirando a mistura. Numa frigideira pequena coloque mais um fio de azeite, jogue a mistura e mexa. Quando começar a esquentar a cúrcuma vai soltar a cor e tingir tudo de um amarelo bem forte. A pimenta ajuda na absorção da cúrcuma, então mesmo que você não goste de pimenta, coloque um pouco, mesmo que bem pouco, vai fazer diferença.

IMG_2181

Pronto! Eu sirvo no pote com as sementes de girassol por cima, mas só pra conseguir incluir todos os ingredientes que a nutri pediu num lanche só, são opcionais.

É bem rápido de fazer e se você quiser pode preparar e levar na marmita para comer frio também. Eu acho importante variar a alimentação, então nunca repito os ingredientes todos os dias. Consulte um profissional (nutricionista ou nutrólogo), mas lembre-se que moderação e variedade são sempre chaves essenciais numa boa alimentação!

IMG_2182