Barcelona and more

Nossa trilha. Minha trilha. Para variar, começou com Skank, e todo o clima bom, de férias, de verão, de Barceloneta, que o Velocia me trouxe, antes mesmo de sair do Brasil. Depois passamos pelas longas distâncias, enquanto descobrindo as proximidades incríveis que parecem até de outras vidas. Vieram as cidades novas para mim, e agora virão para você também. E a cada passo vamos construindo esse caminho eterno. E não se engane, eu sempre registro nossa trilha e posso contar nossa história por meio da música, afinal, “os poetas não dizem nada que eu não possa dizer”, mas dizem com muito mais ritmo!

Para quem quiser ouvir nossa história, tem link da playlist no spotify, mas vou colocar os nomes e artistas, para quem preferir seguir de outras formas:

 

 

Aniversário – Skank (Velocia)

 

Everybody’s Free (To Wear Sunscream, Class 99′) – (Romeo and Juliet Soundtrack/ Baz Luhrmann Films)

 

Alexia – Skank (Velocia)

 

Ali – Skank (Ao Vivo MTV)

 

Macaé – Clarice Falcão (Monomania)

De Todos os Loucos do Mundo – Clarice Falcão (Monomania)

 

O Último Por do Sol – Lenine (MTV Acústico)

Por Onde Andei – Nando Reis (Ao Vivo)

Segredos – Frejat (Amor para Recomeçar)

 

Apenas Mais Uma de Amor – Lulu Santos (Toca Lulu)

Por Enquanto – Cássia Eller (MTV Acústico)

 

Seus Passos – Skank (Carrossel)

Fica – Skank (Maquinarama)

 

Telegrama – Zeca Baleiro (Pet Shop Mundo Cão)

 

Mapa Mundi – Tiê (A Coruja e o Coração)

Fotos na Estante – Skank (Multishow ao Vivo – Skank no Mineirão)

Índios – Legião Urbana (As Quatro Estações)

João e Maria – Nara Leão e Chico Buarque (20 Grandes Sucessos de Nara Leão)

Golden Slumbers – The Beatles (Abbey Road)

Can’t Keep It Inside – Benedict Cumberbach (August: Osage County Soundtrack)

Proibida pra Mim – Zeca Baleiro (Top Hits)

Comigo – Zeca Baleiro (Top Hits)

Malandragem – Cássia Eller (MTV Acústico)

Pra Alegrar meu Dia – Tiê (A Coruja e o Coração)

Soldier of Love – Pearl Jam (Last Kiss)

Black Bird – The Beatles (The Beatles)

Seja Como For – Banda do Mar (Banda do Mar)

Cidade Nova – Banda do Mar (Banda do Mar)

Te Mereço – Tiê (A Coruja e o Coração)

Longing to Belong – Eddie Vedder (Ukulele Songs)

Só Sei Dançar com Você – Tiê (A Coruja e o Coração)

Vamo Embora – Banda do Mar (Banda do Mar)

Society – Eddie Vedder (Into The Wild Soundtrack)

 

Os vídeos não são necessariamente as mesmas versões descritas por falta de disponibilidade. Espero que consigam acessar os vídeos, e a playlist completa no Spotify, mas caso não consigam, todas as músicas são conhecidas e de fácil acesso por pesquisa simples.

 

Aproveitem e vamos celebrar a vida! ❤

 

Esse meu vício de sentir saudades do que nunca vivi

Bloquinho de três é uma brincadeira de origens radialistas. Minha mãe trabalhou como radialista durante grande parte de sua vida, desde logo após meu nascimento, até sua morte. Cresci tendo o rádio como parte fundamental da vida, não somente como ouvinte, mas acompanhando produção e programação de perto. Umas das brincadeiras que minha usava para poder trabalhar e me distrair quando chegava em casa, era propor o desafio de combinar blocos de músicas que tivessem algo em comum ou que simplesmente fossem agradáveis de serem ouvidas em sequência. Após sua ida para outro universo, continuei a brincadeira, formando meus bloquinhos imaginários. Agora compartilho com vocês essa brincadeira. O desafio é que cada um descubra qual a conexão entre as músicas de cada bloco. Sempre lembrando que não há resposta correta, o gostoso é brincar, ouvir e cantar.

 

 

 

 

 

 

 

Por Enquanto

Bloquinho de três é uma brincadeira de origens radialistas. Minha mãe trabalhou como radialista durante grande parte de sua vida, desde logo após meu nascimento, até sua morte. Cresci tendo o rádio como parte fundamental da vida, não somente como ouvinte, mas acompanhando produção e programação de perto. Umas das brincadeiras que minha usava para poder trabalhar e me distrair quando chegava em casa, era propor o desafio de combinar blocos de músicas que tivessem algo em comum ou que simplesmente fossem agradáveis de serem ouvidas em sequência. Após sua ida para outro universo, continuei a brincadeira, formando meus bloquinhos imaginários. Agora compartilho com vocês essa brincadeira. O desafio é que cada um descubra qual a conexão entre as músicas de cada bloco. Sempre lembrando que não há resposta correta, o gostoso é brincar, ouvir e cantar.

 

 

 

 

 

 

O tempo

Bloquinho de três é uma brincadeira de origens radialistas. Minha mãe trabalhou como radialista durante grande parte de sua vida, desde logo após meu nascimento, até sua morte. Cresci tendo o rádio como parte fundamental da vida, não somente como ouvinte, mas acompanhando produção e programação de perto. Umas das brincadeiras que minha usava para poder trabalhar e me distrair quando chegava em casa, era propor o desafio de combinar blocos de músicas que tivessem algo em comum ou que simplesmente fossem agradáveis de serem ouvidas em sequência. Após sua ida para outro universo, continuei a brincadeira, formando meus bloquinhos imaginários. Agora compartilho com vocês essa brincadeira. O desafio é que cada um descubra qual a conexão entre as músicas de cada bloco. Sempre lembrando que não há resposta correta, o gostoso é brincar, ouvir e cantar.

 

 

 

 

 

Uma Ode ao Sol: Quando resolvi ser feliz de novo

O texto de hoje é um misto de reminiscências com bloquinho de três, leiam, ouçam e aproveitem! Que essa saudação ao sol possa iluminar nossas almas!

Confesso que sou otimista. Sempre fui aquela que vê a metade cheia do copo, e mesmo que nem metade seja, uma gota de água num deserto já é considerada uma benção. Mesmo tendo passado por muitos momentos difíceis na vida, intensificados nos últimos anos, nunca deixei de fazer tudo o que era obrigação, e nem de me divertir, ainda que em alguns momentos o ânimo tenha sido somente para um livro em casa. O que, diga-se de passagem, está classificado como uma das minhas diversões preferidas!

Entretanto, desde a morte da minha mãe entrei numa fase ligeiramente obscura. Pela primeira vez na vida. Acho que foi a gota d’água no meu balde, e por fim, tive de admitir que havia uma metade vazia. Afinal vazio é a palavra que define melhor o que senti depois da ida dela. Não deixei de cumprir com uma só obrigação, e passado pouco menos de um ano comecei a me divertir de novo. Não, o vazio não parecia estar só em mim. Perdi um pouco da fé na humanidade. Eu que sempre acreditei na evolução da humanidade, no melhor do mundo, e em mais, muito mais do que isso, na plena capacidade pessoal de muda-lo, comecei a me questionar. Me senti fraca e impotente perante ao mundo.

Isso fez parte do meu luto, e acho que foi a maior prova que tive dele. Duvidar de mim mesma e do mundo foram uma tremenda de uma novidade. Questionei tudo: capacidade intelectual, motivação, futuro, continuidade. Porque e pra que? Mas segui, fazendo o que tinha de fazer. Não as grandes metas, não os sonhos, esses ficaram em stand by. Ainda estão. O que mudou então, você me pergunta. E eu digo, por enquanto nada mudou, mas eu vi luz de novo, vi esperança. Os anjos me mandaram ela na forma de música, o que me faz pensar na minha mãe de novo, afinal, ela era música, e hoje pra mim, ela é música.

Passei o dia ouvindo música, em todos momentos fora da sala de aula, como tenho feito desde que voltei a ouvir sem desabar de chorar, e eis que meu shuffle me enviou, ou entenda que foram os anjos, ou uma anjinha muito especial, três músicas muito queridas, uma que era das preferidas dela, e uma que é das minhas preferidas, o que reforça minha teoria de que mamis continua cuidando de mim.

Aparente meu período de escuridão está acabando e here comes the sun, afinal o sol ilumina a escuridão que a humanidade encerra, e uma canção é para acender o sol no coração da pessoa. Little Darling, the sun is returning to the faces, and it’s ok. Com a canção podemos reunir o céu e a terra, bairro e favela. Talvez ainda haja esperança pra humanidade. Talvez ainda haja esperança pra mim. Afinal, se eu acreditava a tão pouco tempo que podia mudar o mundo, quem sabe essa incerteza não vem da dor, que é a razão de toda dor, do medo de sentir dor. Quem sabe o sol não está batendo de novo na janela do meu quarto. E se o caminho é o sol, e se não devo mais esperar, peço, como a formiguinha, que o sol derreta a neve que prende meu pezinho, para que eu esteja livre da escuridão, e possa levar um pouco dessa luz pra humanidade. E o sol está devolvendo minha coragem roubada. E peço a ele forças para celebrar, para defender para reunir. Jogarei a loto desse ieieiê!