Conserva caseira

Esses dias tava olhando distraidamente minha time line do Facebook, e quando percebi estava assistindo um videozinho da Flor de Sal sobre tomates desidratados no microondas. Eu não sou a maior fã de microondas, mas atualmente vivemos num apartamento pequeno, alugado já mobiliado, e não temos forno! Sim! Uma das coisas que mais sinto falta aqui: forno! Sempre amei fazer coisas assadas! No começo pensei em comprar, mas como temos planos de novas mudanças e vida nômade, achei melhor me adaptar por enquanto a uma vida sem forno. Assim, vou me virando com o cooktop e o micro mesmo.

Outro ponto desse vídeo citado é que a forma usada pra desidratar é com a mistura de açúcar (muito) e sal, e eu sei que é possível desidratar de outras formas, mais lentas e com menos adições, mas de novo, estou trabalhando com o que tenho aqui a mão, por enquanto. Um dia quem sabe, uma casinha com horta e quintal, e um caixote pra fazer frutas e verduras secas ao sol…

Inspirada pelo vídeo, resolvi testar a técnica e aproveitar para criar umas conservas mais elaboradas. Estamos com muitas road trips planejadas e eu estou em busca de alimentos que durem mais tempo, sem refrigeração, ou com refrigeração reduzida, para dar uma incrementada.

Assim nasceram essas conservas bonitas aí da foto:

conservas

Só tem uma foto, foi mal, galera! Eu resolvi fazer e nessa de ir fazendo, sem saber se ia dar certo, na cozinha pequena, duas pessoas trabalhando, nem lembrei da possibilidade de tirar fotos. Depois de prontas, quis me gabar um pouquinho no FB e Insta e aí o pessoal curtiu bastante e resolvi por a receita toda aqui.

No começo fui me aventurar na cozinha sozinha, mas o André veio saber se eu precisava de ajuda, e ele foi meu super cortador oficial, picando alho, cebola, pimentão, tudo pequenininho. Mas vou detalhar as etapas no passo a passo do modo de fazer.

Ingredientes:

1 copo (250 a 300ml) de tomates cerejas frescos.

2 pimentões vermelhos (eu usei 3, mas dois eram muuuito pequenos, contavam por 1).

2 berinjelas grandes (eu usei3 pequenitas, aqui tenho encontrado vegetais menores do que encontrava no Brasil).

1 cebola média.

1/3 de cabeça de alho (eu fiz com uma inteira, e faria a próxima com 1/2, mas como disse o André, a gente expulsou todos os vampiros da Espanha e da França de quebra).

2 colheres de sopa de sal.

6 colheres de sopa de açúcar.

Pimenta e orégano à gosto.

Azeite (não sei exatamente quanto usei).

Modo de Preparo: 

  • Sobre pimentões: eu tenho uma sensibilidade digestiva à pele do pimentão, então sempre que preparo algo com pimentões em casa começo colocando eles diretamente sobre o cooktop já aquecido, pode ser sobre a chama do fogão também, e vou girando até carbonizar a pele, mas sem queimá-lo por dentro. Aí lavo sob água corrente, a pele queimada vai saindo em pedaços e eu fico com os pimentões inteirinhos (já um pouco mais macios) para comer como quiser sem problemas digestivos! Assim sendo, o passo 1 (opcional) é queimar e retirar a pele dos pimentões.
  • Fatiar a berinjela (cortei ao meio longitudinal e cada metade em mais duas ou três fatias com corte longitudinal também).
  • Colocar a berinjela de molho em água com vinagre (geralmente deixo na água com limão, mas como a receite de hoje era conserva preferi o vinagre como sabor de fundo).
  • Cortar a cebola e o alho e colocar no vinagre (eu deixei junto com a berinjela – economia de louça para lavar e treino para cozinhas pequenas, campings, etc).
  • Fatiar os pimentões e retirar as sementes. Reservar.
  • Cortar os tomates cerejas ao meio e espremer as sementes e descartar. Reservar. (se você quiser usar outros tipos de tomate, é só retirar as sementes e deixar em pedaços).
  • Numa tigela misturar o sal e o açúcar. Passar a mistura nos tomates, espalhá-los num prato, evitando sobreposições, e levar ao microondas por 3 minutos.
  • Ao retirar do microondas, escorrer a água e repetir o processo. Eu só precisei colocar no microondas 3 vezes.
  • Fazer a mesma coisa, passar a mistura, colocar no microondas, escorrer a água, por 3 vezes, com as fatias de berinjela e as de pimentão. (Eu usei todos os pratos da casa, assim, já ia trocando os pratos, e enquanto escorria a água de um, o outro já estava lá no microondas).
  • Ao retirar pela 3º vez, lavar em água corrente. (Fiz isso para retirar o excesso de sal e açúcar e esfriá-los).
  • Escolher um pote bem lavado, pingar um pouco de vinagre dentro, tampar e sacudir para o vinagre espalhar bem nas paredes.
  • Escorrer o alho e a cebola.
  • No pote: colocar um fio de azeite na base, fazer camadas com um pouco da berinjela, um pouco da cebola e alho, tomate e pimentão, temperar com pimenta moída e orégano, e cobrir de azeite. Repetir até encher o pote.
  • Guardar na geladeira por no mínimo umas 8h a 12h antes de comer, para que todos os sabores se mesclem bem.

Consumo:

No dia seguinte a conserva já estava toda com bastante gosto (de alho principalmente), mas acho que depois do 3º e 4º dias é que ficou melhor. Pode deixar esse tempo maturando na geladeira. Sobre a durabilidade, também posso dizer que levamos ela para uma pequena road trip, e ela ficou 2 dias sem nenhuma refrigeração, num calor de mais de 30ºC e continuou em perfeito estado.

No dia seguinte de fazer, preparei uma massa farfalle colorido, cozido em água e sal e lavei sob um fio de água fria corrente, deixando o macarrão soltinho e em temperatura ambiente. Cortei uma alface americana em tiras pequenas, e numa tigela grande misturei o farfalle, a alface, os dois potes pequenos de conserva e uns cubinhos de queijo gouda. Temperei a alface com um pouco de limão espremido na hora antes de misturar, mas não coloquei nenhum outro tempero porque a conserva já deu todo o gosto. Comemos essa salada de almoço e repetimos no jantar. Ficou muito gostosa e excelente pro calor que está aqui!

No dia seguinte (terceiro desde a preparação da conserva) partimos numa road trip e levamos a conserva. Como fomos para a França, compramos um queijo brie (0,97 centavos de euros cada pedaço de 200g no Carrefour de lá) e o André preparou uns sanduíches com pão de pagès (pão tradicional catalão, pagès = agricultores), brie e conserva! Foi o melhor sanduíche que já comi na vida!!! Nunca achei que pudesse ficar tão impressionada comendo algo na beira da estrada ao lado do carro, sofrendo no calor! Sério! Ficou absolutamente incrível!!!

No 4º dia de conserva/ 2º de road trip, acabamos ficando sem o que comer, muito cansados para ir a qualquer lugar e encontrei uma lata de ervilhas e cenouras no posto de gasolina. Escorremos a lata e misturamos nela o que sobrou da conserva com os últimos pedaços de queijo gouda. Ficou bem longe de refinado e não tão emocionante, mas ainda assim foi um jantar incrível!

Bom, essas foram nossas experiências com a conserva, mas eu recomendaria usar sobre pães, ou misturado com cuscuz marroquino, ou para temperar uma massa, ou acompanhando uma salada verde. Enfim, use a imaginação!

 

 

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s