Cascada del Molí

Cascada del Molí, Viliella – 30/03/17

Desta vez temos uma trilha muito fácil e muito próxima pra apresentar. Certamente não é a mais bonita ou mais completa, mas pelo esforço reduzido, certamente é um ótimo “custo-benefício” para uma tarde ociosa ou uma visita não tão atlética (oi pai, oi mãe!)

A trilha começa na vila de Viliella, na Cerdanya, mas bem próximo de Alt Urgell. Um pouco antes de Martinet, pra quem sai de La Seu, há uma saída para Lles de Cerdanya. Depois de serpentear um tanto para cima das montanhas, as placas para Viliella começam a aparecer e, apesar das estradas não estarem um primor, também não dificultam a passagem.

A vila em si é bem pequena e desprovida de estrutura. É basicamente um assentamento rural, e isso é confirmado pela quantidade de pastos e tratores no entorno. Ainda assim tem algumas vistas bastante impressionantes dos vales ao redor, devido a sua altitude.

A estrada é sinalizada e bem fácil de achar, e a placa ainda na cidade aponta a distância de 1,5km. O caminho é quase todo largo o suficiente para passar o carro. É possível ver o rio no vale abaixo desde a estrada, e eventualmente o vale vai aproximando do caminho, até que surge uma casa abandonada mas ainda razoavelmente preservada. No caso, essa casa é o tal moinho (molí). Nesse ponto, há uma placa proibindo o trânsito de veículos, mas não se preocupe, pois pedestres podem passar à vontade! É bom prestar muita atenção nessa placa, pois eu e a Ju passamos reto e andamos mais que o dobro do necessário!

Descendo por uma trilha mais estreita agora, em 1 ou 2 minutos chega-se a uma ponte de madeira bem construída e muito recente, e dalí já se está bem perto da cachoeira. Acho que esse é o primeiro trecho onde é possível ver a cachoeira claramente, para quem vem pelo caminho tradicional. A piscina natural formada nas pedras pode ser acessada pelos 2 lados, e a água é extremamente gelada. Ainda assim, decidimos nadar e sofrer um pouco. O Picot, por outro lado, se sentiu muito à vontade na água de degelo…

O moinho também pode ser facilmente acessado e seu interior ainda preserva algumas coisas interessantes, como as rodas de pedra, o reboco da parede e alguns vãos para a água passar. Não recomendo entrar no moinho, não sem muito cuidado com os desabamentos possíveis. Ao lado do moinho também é fácil chegar nas pedras que formam a fenda onde a cascata está localizada, dando uma vista superior tanto do rio quanto do vale em volta.

Em resumo, essa foi a trilha. É bem simples mesmo, e um local aparentemente pouco conhecido. Isso pode fazer diferença pra quem procura um pouco de sossego em uma trilha mais reservada.

DCIM100GOPRODCIM100GOPRODCIM100GOPRODCIM100GOPRODCIM100GOPRODCIM100GOPRODCIM100GOPRODCIM100GOPRODCIM100GOPRODCIM100GOPRODCIM100GOPRODCIM100GOPRODCIM100GOPRODCIM100GOPRODCIM100GOPRODCIM100GOPRODCIM100GOPRODCIM100GOPRODCIM100GOPRODCIM100GOPRODCIM100GOPRODCIM100GOPRODCIM100GOPRODCIM100GOPRODCIM100GOPRODCIM100GOPRO

Esclarecimentos by JuReMa: além das fotos fizemos vídeos nossos nadando nessa água gelada e incrível, contudo o blog não suporta esse tipo de mídia, no nosso plano atual. Contudo temos uma novidade: a recém criada página do Facebook do Blog da JuReMa ( fb.me/blogdajurema ), onde vocês poderão ver fotos extras e vídeos das viagens e andanças da Ju e do André 🙂

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s