Trilha Solsona – Pont de la Frau

08/01/17 – Trilha por Solsona, até a Pont de la Frau

Fomos mais uma vez para uma província vizinha, agora mais ao sul, onde os picos são mais baixos e os vales mais largos. Na província de El Solsonès, o clima e a paisagem são mais amenos do que os de ALt Urgell, e por isso essa trilha foi bem fácil de completar, comparando com outras que já fizemos. O percurso foi:

Solsona – Pont de la Frau – Barranc de Pallares – Castellvell – Solsona

O caminho começa na própria cidade de Solsona, capital da província, uma cidade que não tem mais de 10.000 habitantes, mas tem um centro histórico realmente incrível! Seguimos por uma trilha que indica a Pont de la Frau dentro da própria cidade. O roteiro que tínhamos visto em casa seguiria para o camping El Solsones, mas preferimos seguir pela trilha que encontramos pessoalmente, quase margrando o Riu Negre pelo lado leste. Passamos por algumas propriedades rurais muito bem cuidadas, como um pequeno haras e alguns casarões reformados, até que a trilha entrou por um bosque mais fechado. De repente, vimos uma imensa coluna de pedra e percebemos que já estávamos embaixo da tal ponte. Ela é realmente altíssima, apesar de assustadoramente estreita. Subimos a encosta oeste do rio e chegamos até o começo da ponte, a qual não tivemos coragem de atravessar… Havia gelo em um trecho sombreado, e uma queda ali certamente seria fatal. Não vimos motivos para arriscar.

Seguimos então de volta para a cidade pelo lado oeste do rio, onde o bosque as vezes adquire uma inclinação absurda e repentina. Não tente passar por qualquer uma das ramificações da trilha, se achar um terreno dificil, volte e pegue outro caminho! Depois disso passamos por uma granja bem simples, mas com uma vista maravilhosa para o vale abaixo. Aqui o bosque acabava e atrilha seguia por plantações e casinhas isoladas. Encontramos um corajoso pai andando de bicicleta com umas 4 crianças, que se espalhavam e tentavam ir por outros caminhos com frequencia, enquanto ele pastoreava todos, ao mesmo tempo que carregava quantidades imensas de casacos. As benesses da vida em uma cidade pequena! Em um dado momento a trilha fez um cotovelo bem fechado e logo entramos em um parque meio que saído das lembranças de infância, chamado Barranc de Pallares. Havia mesinhas de piquenique pintadas como cogumelos, havia churrasqueiras no meio de bosques, um pequeno playground, tudo feito de maneira simples e cuidadosa. O local era tão acolhedor que acabamos passando reto pela curva da trilha e demoramos um tempinho para nos realocar.

Dali, a trilha segue por baixo da estrada, por um cano gigante, seguindo por uma encosta de pedra onde uma mesinha de piquenique foi instalada logo abaixo e mais um pequeno parque pouco acima desta encosta. Depois dessa breve interrupção para espaços de lazer, novamente o caminho segue por entre propriedades rurais e bosques, enquanto contorna o morro no qual está o Castellvell. Não muito longe dali, a estrada passa e leva em pouco tempo até o próprio castelo, que é uma miríade de coisas, menos um castelo. Há uma torre, um pomar, uma igreja e uma habitação que parece ser eclesiástica, mas nada é exatamente uma fortificação. De qualquer maneira, o Catellvell fica logo acima de Solsona e dá uma vista bem aberta para a cidade e para a região em volta, onde o terreno ondula mas não chega a formar montanhas ou colinas. Voltamos para a cidade por uma pequena trilha que sai do “castelo” e entra por um bairro afastado de Solsona, onde algumas casas realmente impressionantes pairam sobre o resto da cidade. Tivemos alguma dificuldade em dar a volta ali, pois poucas ruas desciam na direção que queríamos, mas eventualmente conseguimos dar a volta.

Não foi a trilha mais bonita ou mais desafiadora que fizemos, mas tivemos uma excelente sensação de estar em um ambiente mais tranquilo, mais adequado para famílias do que para aventureiros. O caminho menos acidentado e a presença de campos de agricultura dão a sensação (real) de que estamos em uma zona rural, mas não selvagem. Além do que tivemos a oportunidade de rever Solsona e aproveitar também os cuidados incisivos de alguns imigrantes que montaram um restaurante e eram os únicos que estavam aberto no domingo! Sempre procure pelos Doner Kebabs se quiser comer bem e barato!

DCIM100GOPRO

DCIM100GOPRO

Pont de la Frau

DCIM100GOPRODCIM100GOPRODCIM100GOPROimg_3427img_3428

DCIM100GOPRODCIM100GOPRODCIM100GOPRODCIM100GOPRO

wp_20170108_007

DCIM100GOPRO

Desvio da trilha ao observar o parque 

DCIM100GOPRO

wp_20170108_009

DCIM100GOPRO

Chegando ao Castellvell pela estrada

wp_20170108_010wp_20170108_012wp_20170108_017wp_20170108_018DCIM100GOPRODCIM100GOPRODCIM100GOPRODCIM100GOPRODCIM100GOPRODCIM100GOPRODCIM100GOPRODCIM100GOPRODCIM100GOPRODCIM100GOPRODCIM100GOPRODCIM100GOPRO

wp_20170108_023DCIM100GOPRODCIM100GOPRODCIM100GOPRO

DCIM100GOPRO

Solsona, já ao entardecer

DCIM100GOPRO

img_3434

Na volta paramos em Organyá, só para eu tirar foto dessa árvore de natal linda deles! (by JuReMa)

img_3435

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s