Canarinha

[*Texto antigo, de 2014, estava em “rascunhos”, postado pela primeira vez hoje, 10/02/2016]

A menina levantou o copo. Quatro se chocaram: um brinde. Algumas cervejas, alguns drinques. Ela viu aquelas faces que a olhavam e sorriam, e sentiu seu próprio sorriso, levantando as maçãs do rosto, fechando os olhos apertados. Quando ia imaginar que em uma segunda-feira qualquer estaria ali, brindando com aquelas pessoas? Quando imaginou dividir uma cerveja com aquelas meninas? Nunca! Um toddynho, talvez!

Piscou, e se viu, diante de seu próprio espelho. Sim, naquele momento a menina era Alice, e estava em plena travessia, espelho a dentro. Nada diz mais sobre você do que ver sua própria infância, desenhada, colorida, em filmes, fotos, camisetas de uniformes, trabalhinhos. Já disse que a menina Alice é professora? Pois bem, Alice volta e meia pinta e borda com seus pequenos. Olhou em volta e viu suas pinturas e bordados ali. Não eram seus. E eram tão seus. Foram ensinados a ela, mas tão bem ensinados, que a menina achou que eram seus. E se sentiu no direito de passá-los a frente como ensinamento. Como se fossem seus para doar. E não são seus? Não foi para isso que lhe foram dados, cada um daqueles presentes.

Pássaros amarelos. Tantos. Tão pequenos. Gordinhos, amarelinhos, de asas curtas e boné azul. Pássaros poderosos. Pequenos canários, que uma vez que lhes ensinem a voar, alçam voo e vão longe. A menina alongou suas asas. Suas recém adquiridas asas. E riu. Riu aquela risada da alma. Se achava tão original com suas asas musicais. Passou a adolescência sonhando com o voo, com o desejo de criar asas. Desesperadamente tentando ser boa e correta e melhor, cada vez melhor, para que um dia alçasse voo. Tola! Para que aquele esforço descomunal em direção aos céus disputados e poluídos do tão falado sucesso?

A menina já era passarinha. Ela se achava uma passarinha nova. Que nada. Bastou Alice se reconhecer naquele espelho. E lá estava ela, em cada um daqueles rechonchudos seres amarelinhos. Como tentar ser uma nova passarinha, se há muito ela já era canarinha?

2 thoughts on “Canarinha

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s